O pesadelo do primeiro trimestre de gravidez

Sem romantizar, mas também sem mimimi: o primeiro trimestre não é nada fácil! 

primeiro trimestre gravidez gi frugis

Oi, gente! Tudo bem?

Apesar de eu estar entrando no terceiro trimestre da gestação já (OH MEU DEUS!), eu resolvi bater um papo com vocês a respeito do primeiro trimestre. Os três primeiros meses foram, definitivamente, os mais difíceis e complexos até agora. Sinceramente? Não tem como romantizar esse comecinho!

Pelo menos me baseando na minha experiência, o começo é lotado de enjoos, dores de cabeça, tonturas incontáveis, dúvidas e medos, muitos medos. Eu tinha medo de exagerar nos exercícios, de comer qualquer coisinha com canela, não tomei nenhum gole de café, evitei qualquer tipo de carne que não estivesse absolutamente bem passada… Isso tudo sem falar que antes de cada ultrassom minha respiração parava: “está ou não tudo certo?”

Porque, querendo ou não, você não sente o bebê mexer no começo. Então, sempre existe aquela dúvida de se o bebê ainda está dentro de você mesmo. Se o bebê ainda está vivo ou não. E não quero parecer uma pessoa horrível, mas esses pensamentos passam pela cabeça, SIM!

Cada vez que eu ia ao banheiro, olhava minha calcinha com medo de sangramentos ou qualquer coisa do tipo. E as cólicas, então? Ficava com medo de serem cólicas abortivas, quando na realidade eram apenas parte do pacote do primeiro trimestre, hahahaha.

 

Ouvir o coração 

É claro que o primeiro trimestre também é dono de momentos incríveis e muito bons. Sem dúvidas, o dia em que eu ouvi pela primeira vez o coração do Kauê vai ficar guardado na minha memória PARA SEMPRE. Eu fiz chá revelação que foi super emocionante, tive um primeiro Dia das Mães de chorar de tão lindo, mas nada se compara com aquele tumtum tumtum tumtum.

No primeiro ultrassom que eu fiz, com 5 semanas, não deu para ver muita coisa – mal se via a vesícula vitelina. Então, marcamos uma nova ultrassonografia para dali duas semanas. E foi nesse segundo momento que ouvi o coraçãozinho do meu filho.

Ele ainda era tão pequenininho, mas já tinha ali um coração forte, batendo rápido. Que orgulho que senti dele por tanta força, e de mim também, por estar gerando uma nova vida dentro de mim. Foi emocionante! Além disso, a minha médica, dra. Beatriz Barbosa, me deu um aparelho que é PURO AMOR, para ouvirmos em real time o coração do bebê em casa. Obviamente Cesar e eu passamos uns três meses seguidos ouvindo todos os dias, né? hahahaha

Se quiserem, posso fazer um review desse aparelho de ouvir coração em casa, me avisem! 

 

Sintomas

De maneira geral, o que senti no primeiro trimestre foi o que disse no início do texto: enjoos todos os dias (mesmo, principalmente de noite), dor de cabeça também todos os dias e tonturas e cólicas esporádicas. A dor nos seios também me marcou muito, e olha que nunca fui de sentir esse tipo de dor, nem mesmo nas TPMs da vida.

Não percebi inchaço na barriga, mas também tô longe de ter uma barriguinha seca para perceber qualquer coisa, né, vamos combinar… hahahahahah

 

Mudanças 

Eu engordei 2 kg durante o primeiro trimestre. Apesar dos enjoos, eu não cheguei a vomitar. Então, não tive o “problema” de perda de peso no início da gestação. Não tinha muito apetite, é verdade, mas, enfim, consegui engordar mesmo assim. De qualquer maneira, minhas roupas serviram normalmente até, mais ou menos, 12 semanas. A partir daí as calças jeans começaram a incomodar um pouquinho quando eu sentava.

 

Pré-natal

Eu descobri a gravidez com umas 2 semanas só, foi MUITO no início – saiba mais sobre como eu descobri e contei para o Cesar clicando aqui. E logo que eu descobri, mandei mensagem para a minha ginecologista, que eu sempre soube que seria minha obstetra. Minha primeira consulta de pré-natal foi com 4 semanas de gestação. Na mesma semana já comecei com as vitaminas, suplementos e cuidados básicos.

 

E aí, gravidinhas que me acompanham ou já mamães: como foi o primeiro trimestre de vocês? Quero saber, vamos papear!

 

Beijos,

Gi

Tô por aqui também:
Insta: @gifrugis
Face: Facebook.com/gifrugis
Twitter: @gi_frugis